Qual a importância da taxa Selic e como os investimentos são afetados

Qual a importância da taxa Selic e como os investimentos são afetados

De tempos em tempos, a taxa Selic vem se tornando um dos principais indicadores do mercado financeiro no Brasil. O Sistema Especial de Liquidação e Custódia é responsável por gerar essa taxa.

Esta é uma reflexão dos empréstimos a curto prazo de negociações realizadas entre bancos no mercado de títulos públicos. Tais instituições, realizam esse tipo de negócio, no intuito de obter dinheiro para as suas operações. São geradas uma taxa média diária, onde o valor é convertido para a porcentagem anual e divulgadas pelo Banco Central.

Da mesma forma que há negociações internas entre bancos para levantamento de recursos, eles também negociam entre pessoas para diversos tipos de investimento. Para definir uma rentabilidade, eles utilizam a Selic como referência.

Os valores da taxa Selic 

A taxa Selic de proposição do BC (Banco Central), isto é a taxa Selic Meta: onde há em torno de 3,00% (pontos percentuais) ao ano. Todavia, há a taxa Selic Over, com um valor um pouco menor, cujo rendimento mensal está na faixa dos 2,90% ao ano.

Qual a importância da taxa Selic para a economia?

A taxa Selic é um mecanismo que auxilia contra uma possível inflação na economia. Em situações críticas, é o Copom (Comitê de Política Monetária) – formado por  uma equipe de diretores do Banco Central – quem decide e interfere sobre os juros do País e seu funcionamento.

Quando há um controle, é evidente a queda de juros e dos valores das taxas, pois a inflação fica controlada, apontam os especialistas do BC.

Como a taxa pode afetar os investimentos?

A taxa Selic pode atrapalhar diretamente no mercado econômico e nas aplicações financeiras. Quando trata-se de aplicações de renda fixa, isso afeta de modo bem direto. Todavia, na renda variável, se torna uma maior oportunidade de ganhos.

Investimentos impactados pela taxa Selic

A taxa Selic trata-se de um indicador de mercado, não é considerada um tipo de investimento. No entanto, é possível fazer aplicações que acompanham o desempenho da taxa Selic. Veja:

 1- Tesouro Direto Selic:

O Tesouro Selic é o investimento mais seguro do mercado brasileiro. Ele é emitido pelo Tesouro Nacional e usado para financiar o governo brasileiro.

O investimento em Tesouro Selic pode ser feito pela plataforma do Tesouro Direto e hoje em dia é possível começar com cerca de R$ 80 neste título.

As aplicações estão sujeitas a uma taxa de custódia de 0,25% ao ano sobre o valor total do investimento, além do Imposto de Renda (IR).

2 – CDB que rende 100% do CDI

Os CDBs são investimentos com uma mecânica semelhante aos títulos públicos do Tesouro Direto. No entanto, em vez do governo, quem emite esses investimentos são os bancos.

O principal diferencial é que os CDBs contam com a proteção do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), que assegura a devolução de até R$ 250 mil para quem investiu em um banco caso ele venha à falência.

Um CDB que rende 100% do CDI tem uma rentabilidade bem próxima à Selic, apesar de ligeiramente mais baixa.

Eles também estão sujeitos ao IR e as taxas para investir em CDB podem variar dependendo dos custos das corretoras. Hoje, a maioria delas oferece taxa nos investimentos.

3 – Fundo de renda fixa que rende 100% do CDI

Um fundo de renda fixa é um tipo de aplicação financeira que investe em ativos mais seguros. Antigamente, eles eram conhecidos no mercado como fundos DI.

Quando uma pessoa investe em um fundo, na verdade está comprando uma parcela de diversos ativos, que o fundo adquire em um processo semelhante a uma compra no atacado.

Assim, é possível investir com pouco dinheiro em ativos mais sofisticados ou com valor de entrada mais alto.

Mas vale prestar atenção: os fundos de investimento têm taxa de administração e, eventualmente, taxa de performance.

Dificilmente vale a pena investir em um fundo de renda fixa se ele tiver taxas maiores do que 0,5% ao ano, a não ser que ele tenha rentabilidade bem acima da Selic.

E qual seria o melhor investimento?

A taxa Selic é um parâmetro para todos os investimentos seguros. Logo, se uma aplicação mais sofisticada tem uma rentabilidade menor que a Selic, vale a pena checar o que está acontecendo com esse investimento. 

Quando essa taxa sofre uma queda, acaba que a renda fixa perde parte dos seus rendimentos e a variável se torna mais atrativa. 

Mas considere sempre avaliar você outros aspectos mais do que apenas rentabilidade. A dica é escolher aplicações de bons emissores e que paguem rendimentos acima de 100% do CDI. 

Simule, compare
e comprove.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *